Dicas para suas flores durarem mais em casa

Sempre que compramos flores esperamos que elas durem o máximo possível em casa e sempre ficamos tristes quando elas começam a murchar. No entanto, existem alguns cuidados que podemos tomar para que nossas flores nos alegrem por mais tempo.

Nesse post separamos algumas dicas simples de como aumentar a durabilidade das nossas queridas.

Corte da haste

Muita gente não sabe que é necessário cortar a haste da flor periodicamente para melhor conservação. Depois de um ou dois dias corte de um a dois centímetros da haste diagonalmente para que seu caule possa absorver melhor a água e manter a flor hidratada por mais tempo.

 

 

 

Quantidade e troca da água

Equivoca-se quem pensa que quanto mais água melhor, isso faz mal para a planta e pode acabar até reduzindo sua durabilidade. A quantidade correta é a de 3 a 4 dedos de água fresca e o ideal é trocá-la todos os dias para evitar a proliferação de bactérias.

 

 

 

Limpar haste

É fundamental limpar a haste retirando as folhas e  também as pétalas que murcham primeiro, pois elas influenciam na deterioração das outras. Deixar a água em contado com as folhas faz com que a flor também murche mais rápido, pois elas apodrecem e contaminam a água. Portanto, retire as que estiverem em contato com a água.

 

 

 

 

Gypsofila (mosquitinho) – quando menos é mais

Originária da Europa, essa flor que conhecemos por aqui como “Mosquitinho” na verdade se chama Gypsofila.

Super charmosa na decoração, a gypsofila pode ser usada como flor principal ou complemento de qualquer arranjo. Devido ao volume, as flores preenchem grandes vasos e permitem composições grandes, mesmo que o orçamento seja limitado.

Número um dos casamentos no campo, ou daqueles com decoração mais rústica, também fica linda em qualquer ambiente da casa. E o melhor: é bem fácil de usar. Por não ter folhas, basta agrupar algumas hastes no vaso e pronto!

Dica: troque a água do vaso diariamente. A Gypsofila é uma flor bastante durável, porém, precisa de água e ambientes sempre frescos. Ela é produzida e comercializada o ano todo (diferente de outras flores que preferem as estações mais quentes ou frias do ano) e pode ser encontrada em supermercados, floriculturas ou no CEASA mais próximo de você.

MPS: Saiba a origem das flores que consome

Quem compra flores nos supermercados e floriculturas locais nem imagina a tecnologia implantada no “simples” processo de plantar, colher e entregar flores frescas ao consumidor diariamente.

O investimento em estufas, técnicas de irrigação, ventilação, iluminação, adubação, plantio, colheita, controle de pragas e doenças, câmaras frias, transporte refrigerado (sem falar no pagamento de royalties aos breeders – as empresas que realizam o melhoramento genético nas flores) são altíssimos. E o investimento não é só financeiro. É investimento em tempo, dedicação, energia e muito estudo.  Agora considere tudo isso somado aos aspectos ambientais e sociais das comunidades e ecossistemas onde as produções estão inseridas.

Pensando nesses fatores, a MPS (www.my-mps.com.en/), uma organização internacional de certificação, desenvolveu uma avaliação em que considera o uso de defensivos agrícolas, fertilizantes, consumo de energia elétrica e descarte de resíduos de cada propriedade participante, durante o período de 4 semanas.

A ideia é qualificar o cultivo como o “mais amigável ao meio ambiente” possível. Ao fim do período de avaliação a empresa recebe instruções sobre o que deve ser corrigido para atingir a classificação máxima (que pode variar entre A, B ou C). Após a realização das correções/alterações processuais, acontece então a avaliação final.

No Brasil (segundo o site da MPS), existem 5 empresas classificadas com nota máxima (A) atualmente. Dessas, duas fazem parte da base produtiva da Cooperflora.  Ambas são produtoras de rosas (Reijers Produções de rosas Ltda. / Reijers Agrofloricultura Ltda.), estão localizadas no Ceará e pertencem ao Grupo Reijers, pioneiro na produção de rosas em cultivo protegido.

O Grupo Reijers foi também fundador da Cooperflora (mas essa história a gente deixa para um outro post…!). A lição da vez é: considere a sustentabilidade como um valor importante ao escolher os produtos que consome. Flores produzidas em harmonia com a natureza lhe darão ainda mais prazer ao presentear ou decorar o seu lar!