Pantone divulga a Cor do Ano 2022

A Pantone, referência mundial em sistemas de cores, divulgou na quarta-feira, dia 8 de dezembro, a cor do ano 2022: PANTONE 17-3938 Very Peri. Ao anunciar a cor do ano, a empresa frisou que a tonalidade escolhida “nos ajuda a abraçar esta paisagem alterada de possibilidade, abrindo-nos para uma nova visão, enquanto reescrevemos nossas vidas”.

A decisão pela cor Very Peri tem ligação direta com o momento atual em que vivemos, quando começamos a sair de um longo período de isolamento, em decorrência da pandemia, e as noções e padrões de nossas vidas física e digital já se encontram convergindo.

Para o vice-presidente do Pantone Color Institute, “a criação de uma nova cor, pela primeira vez na história de nosso programa educacional de cores PANTONE Color of the Year, reflete a inovação e transformação globais que estão ocorrendo”.

Para chegar à seleção, a cada ano, os especialistas em cores da Pantone no Pantone Color Institute ™ vasculham o mundo em busca de novas influências de cores. Isso pode incluir a indústria do entretenimento e filmes em produção, coleções de arte em viagem e novos artistas, moda, todas as áreas do design, destinos de viagens populares, bem como novos estilos de vida, estilos de diversão e condições socioeconômicas. As influências também podem advir de novas tecnologias, materiais, texturas e efeitos que afetam a cor, plataformas de mídia social relevantes e até eventos esportivos futuros que capturam a atenção mundial.

Color Harmonies

Fonte: https://www.pantone.com/

Sustentabilidade na floricultura internacional

A empresa brasileira G2D, de investimentos em tecnologia e gestora da GP Investments acaba de aportar recursos da ordem de US$10 milhões na inglesa Freddie’s Flowers, sediada em Londres. A floricultura é especializada na venda de assinaturas de flores e é considerada sustentável. Foi a primeira rodada de investimentos feita pela empresa e angariou um aporte total de US$ 60 milhões.

Para neutralizar a emissão de carbono na atmosfera, além de bicicletas elétricas utilizadas em 30% de suas entregas, a empresa se compromete com o plantio de árvores na Amazônia e na Europa. As suas embalagens não utilizam plásticos. Além disso, as flores comercializadas só são colhidas depois de vendidas. A Freddie’s Flowers é certificada quanto à sua neutralização na emissão de carbono.

Os recursos obtidos serão aplicados para a expansão de mercado, em um primeiro momento concentrado na Europa. A companhia detém uma carteira de 130 mil assinantes e tem crescido 72% ao ano, desde 2016.

A transação ocorre no âmbito da emergente explosão de negócios de captação de recursos por empresas associadas à ESG (Environmental, Social and Governance).

Fonte: Hórtica Consultoria. Estudos de Tendências e Inteligência de Mercado. Freddie’s Flowers, London

Imagem: The TimesSports Shoes | Kids Air Jordan — Ietp

O simbolismo das flores nas Olimpíadas de Tóquio-2020

As flores têm papel importante na 32ª edição dos Jogos Olímpicos, realizada na cidade de Tóquio, no Japão. Presentes nos buquês entregues aos atletas medalhistas, elas simbolizam a reconstrução do país, atingido pelo desastre nuclear de Fukushima, em 2011.

Para a construção dos buquês olímpicos, desenhados pelo Conselho de Flores Nippon, os artistas optaram por flores de áreas atingidas pelo desastre. Foram escolhidos girassóis de Miyagi, lisianthus e selos-de-salomão de Fukushima, gencianas de Iwate e aspidistras de Tóquio.

Os buquês têm, aproximadamente, 17 cm de diâmetro e 28 cm de altura e são formados por flores naturais. Por este motivo, o arranjo é finalizado com uma espécie de bolsa com água, em forma de gel, que garante o frescor das plantas por mais tempo.

Além disso, a versão olímpica dos buquês conta com as réplicas do mascote dos Jogos Olímpicos, o Miraitowa, que tem seu nome formado da combinação de palavras japonesas que representam futuro e eternidade.

Um total de 5000 réplicas serão produzidas para entrega nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

#CoopsDay

O primeiro sábado de julho marca uma data muito importante para nós da Cooperflora: o Dia Internacional das Cooperativas (#CoopsDay). Em 2021, a celebração acontece em 3 de julho e será comemorado sob o tema “Reconstruir melhor juntos”.

A data é celebrada desde o ano de 1992, como previsto pelo decreto da Assembleia Geral das Nações Unidas, segundo resolução 47/90, e reforça o movimento do cooperativismo internacionalmente.

Por aqui, nós somos cerca de 90 produtores que se uniram voluntariamente ao longo dos mais de 20 anos da Cooperflora para juntar forças e focar naquilo que amamos: FLORES!

Nós temos muito orgulho em ser uma cooperativa que acredita que é possível produzir e comercializar flores de um jeito diferente e, principalmente, por estarmos cercados de cooperados que trabalham produzindo flores que farão parte de momentos únicos e memórias inesquecíveis de pessoas por todo o Brasil.

Neste espírito de cooperativismo, desejamos a todos um feliz #Coopsday!! 🙂

O Dia Internacional da Mulher no Brasil – 35 anos de história

Em março de 1986, o diretor de marketing da então recém criada Associação dos Lojistas de Flores do Estado de São Paulo (ALFESP), Edison Alexandre – atualmente presidente do SINDIFLORES – teve a ideia de chamar a atenção dos floristas para o potencial de vendas nesta data, período considerado fraco de vendas, pois que ainda distante do campeão Dia das Mães.

Então, ele realizou uma incrível e abrangente ação promocional, até então inédita no Brasil: foi para as ruas e ofereceu um botão de rosa a cada mulher que encontrava pelo caminho.

Ao longo de uma semana, cerca de 50.000 mulheres receberam, pelas ruas de São Paulo, um botão de rosa com uma mensagem impressa em um cartão: “Nossos cumprimentos pela passagem do Dia Internacional da Mulher”. Ao mesmo tempo, a data – 8 de março – era lembrada em 20 gigantescas faixas espalhadas pelas principais avenidas da cidade e em outras 300 faixas menores colocadas nas fachadas das lojas, dando a sugestão: “Elas merecem flores”.

Esta primeira campanha promocional teve custos estimados em 300.000 cruzados, incluindo os gastos com flores distribuídas gratuitamente às mulheres, a confecção dos cartões e das faixas.

Fonte: Revista Afinal, 3 de março de 1986.

Green Moments

Anualmente, no mês de janeiro, a National Retail Federation promove, em Nova York, o NRF Big Show, o maior e mais importante evento de varejo do mundo. São 3 dias de debates, apresentações e demonstrações, do que de mais moderno existem em tecnologia e tendências no setor. Dezenas de milhares de profissionais de todo o mundo participam do evento. Várias missões brasileiras de empresários e executivos comparecem anualmente, no intuito de se atualizar e aprimorar.
A National Retail Federation é a maior associação comercial do mundo. Seus membros incluem lojas de departamentos, especialidades, descontos, catálogos, Internet e varejistas independentes, cadeias de restaurantes, supermercados e empresas de marketing multinível.
Eu, Walter Luis Wingue – Vice Presidente do Ibraflor, tive a grata oportunidade de assistir uma palestra no Evento do Sindilojas de Porto Alegre RS, da empresária Bruna Luz, que esteve na NRF 2020, e fez um resumo do que mais lhe chamou a atenção na edição.
Em especial, a palestra do arquiteto Shane Danos, diretor de Visual Merchandising do grupo Creative Neiman Marcus. Shane supervisiona o desenvolvimento da empresa e a criação de programas visuais e criativos de marketing visual, incluindo janelas e ambientes de loja. A Neiman Marcus desenvolveu com sucesso a nova loja principal da NYC Hudson Yards, que incluiu novas plataformas digitais na loja, experiências e ativações do cliente. Em sua palestra associou o Calmcommerce – o comércio de produtos para acalmar, suavizar a vida das pessoas – com as plantas. São os “green moments” dentro das lojas. As lojas estão trazendo plantas para compor sua decoração interna e de vitrines, no intuito de promover uma conexão do urbano com a natureza.
As plantas ajudam no Visual Merchandising, e transmitem, ainda, sensação de vida e tranquilidade!
Além de várias lojas de Nova York, a empresária, que reside na Alemanha, tem visto o uso de plantas em lojas da Espanha e Portugal.

(por Walter Luis Winge para o Boletim do IBRAFLOR de janeiro 2020)